Camarilha dos Quatro

Revista de crítica musical.

Timbaland – “Pass at Me (Feat. Pitbull)” (2011; Interscope, EUA)

Timbaland já não é mais o produtor revolucionário que deu bojo a faixas antológicas de Aaliyah, Missy Elliott e Justin Timberlake. Gravando sem a regularidade de outrora, ele declarou há alguns anos que iria se aposentar, pois acreditava que toda a inovação que poderia trazer à música, já havia trazido. O depoimento, ainda que honesto, era tanto pra fazer alarde midiático quanto para dar sinais de que um período havia se findado. Em seguida, ele surpreendeu, se engajando com cantoras como Björk, Madonna e, mais recentemente, Rihanna e Katy Perry. E verdade seja dita: ainda que muito acima da média, suas produções não são mais revolucionárias e capazes de mudar todo o curso da música pop, como eram nos anos 90.

“Pass at Me”, que comprova a declaração supracitada, pode não trazer uma fórmula nova, mágica e experimental para a música pop, mas demonstra o poder que Timbaland ainda possui para trabalhar com estruturação de ritmos e vozes dentro de uma faixa dançante. Na década de 90, ele reinventou o R&B ao subverter seus elementos, acelerando a batida, inserindo arranjos diferenciados e adicionando toques de hiphop. Nessa nova música com Pitbull (rapper charlatão e responsável pelas maiores porcarias da atualidade), ele se aproveita do electro house popularizado por David Guetta (com ares de UK Funky) e constrói um rap-house-funky e hit em potencial (daqueles que ouviremos nas festas e carros de nossos piores inimigos). Entretanto, o que chama a atenção, além da batida e do sintetizador altamente empolgantes, são as camadas de vozes sobrepostas, tão características de Timbaland, que não se contenta com apenas uma linha melódica no refrão, com um rap gravado em canal único e com vozes em registros timbrísticos parecidos; tudo precisa ser discrepante, overdubbed, e multifacetado em texturas. A letra, como quase todas que abordam a temática de mulheres e sexo no hiphop, é abjeta, e o resultado final nos remete a carros, praia, dinheiro, pessoas imbecis e futilidade. Mas o que importa? Quem disse que a vanguarda também não pode vir mascarada? (Thiago Filardi)

Veja aqui o clipe oficial de “Pass at Me”.

Anúncios

Um comentário em “Timbaland – “Pass at Me (Feat. Pitbull)” (2011; Interscope, EUA)

  1. Bruno Deca
    30 de janeiro de 2012

    o maluko é enorme em , caralho kkkkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 7 de outubro de 2011 por em Faixa da Semana e marcado , , , .
%d blogueiros gostam disto: