Camarilha dos Quatro

Revista de crítica musical.

Kate Bush – “Snowflake” (2011; Fish People, Reino Unido)

50 Words For Snow é um disco com sete composições longas, a menor contando com quase sete minutos e a maior passando dos treze. É um traço marcante, ainda mais porque em toda sua carreira Kate Bush não trabalhou com músicas que ultrapassassem muito a contagem dos cinco minutos, e muito menos organizou um álbum cheio de faixas que excedem a duração convencional da canção pop (ainda que jamais, presume-se, ela o tivesse feito para querer “ser” pop). No caso de uma artista consagrada e um tanto sumida, bissexta em lançamentos, poderia ser motivo de apreensão, sinal de auto-indulgência em excesso ou ambição desmesurada. Mas a audição do álbum espanta qualquer medo nesse sentido. O que parece é que ela viu uma outra cantora de canto e composições excêntricos obter reconhecimento quase universal por seus trabalhos – Joanna Newsom, quem mais? –  e achou que valia a pena quebrar a regra dos quatro minutos e testar sua verve em composições mais extensas. Conjecturas à parte, o certo é que as faixas de 50 Words For Snow têm um senso de narrativa (clímaxes, construções de tempo) extraordinário, nada soando forçado, cada estrofe surgindo com ideias novas, cada nova aparição de refrão recolocando as faixas em seu centro melódico. “Snowflake” é a faixa que abre o disco e é nela que esses elementos encontram sua mais perfeita articulação. É uma faixa introspectiva, centrada numa frase repetitiva de piano, em que Kate Bush divaga, senhora do tempo, alternando um canto quase falado com momentos mais fortes de empostação vocal. A faixa produz uma intensa sensação de isolamento sereno, como um floco de neve ainda no alto do céu, observando o mundo de cima e alheio a toda sua balbúrdia. “The world is so loud. Keep falling. I’ll find you” é o refrão, repetido nove vezes, entoado com uma singeleza absurda e comovente, digna dos grandes momentos de Antony ou do Scott Walker de Tilt. Instrumentalmente, a sonoridade do piano domina a faixa, apenas com pontuações de bateria, guitarra e cordas. Mas inevitavelmente é a voz de Kate Bush o maior destaque, com um controle extraordinário de emoção, alternando arroubos e momentos secos, sussurros e notas mais longas e pronunciadas, criando estases temporais que convidam ao encantamento hipnótico. “Snowflake” é fácil um dos grandes momentos vocais do ano, e uma das músicas que restarão firmes para as audições noturnas dos anos vindouros. (Ruy Gardnier)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 25 de novembro de 2011 por em Faixa da Semana e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: