Camarilha dos Quatro

Revista de crítica musical.

DJ Rashad & DJ Spinn – “DJ Rashad & DJ Spinn Meet Tshetsha Boys” (2011; Honest Jon’s, Reino Unido)

Em 2010 aparecia para o mundo o footwork, através dos lançamentos da Planet Mu, com DJ Nate e seu EP Hatas Our Motivation, posteriormente o álbum Da Trak Genious e a coletânea Bangs & Works Vol. 1. Essa versão hiperacelerada de house e electro, com cacoetes próprios no uso de samples, de padrões de loop, e a convivência de andamentos dobrados ou quadruplicados, chamou a atenção por seu enorme frescor sonoro. Paralelamente, do outro lado do Atlântico e no outro hemisfério, uma rapaziada da África do Sul fazia um percurso semelhante na hiperaceleração das batidas, utilizando também o princípio da simplicidade: poucos elementos, melodias fáceis e cativantes. Ali onde o ritmo do footwork é oscilante e complexo, o da turma do Shangaan Electro é frontal e imediato. Diferenças à parte, são aqueles fazendo a música mais ludicamente acelerada do planeta. Mas, até agora, ninguém pra juntar.

Mas a Honest Jon’s teve a grande ideia. Como parte de uma série de singles com artistas de diferenças proveniências remixando os artistas sulafricanos do Shangaan Electro – entre os quais já passaram Ricardo Villalobos & Max Loderbauer, Theo Parrish, Burnt Friedman, Peverelist e Oni Ayhun -, o selo lançou no finalzinho de dezembro duas monumentais junções de footwork e shangaan, cortesia de DJ Rashad e DJ Spinn de um lado, e o anônimo RP Boo do outro. Cada lado do single tem a sua força, mas é mister dar a preferência à enorme fluência rítmica de Rashad/Spinn, isolando cada elemento e gradualmente fazendo-os colidir em contraste rítmico. Da original dos Tshetsha Boys, “Nwa Pfundla”, sobra quase que exclusivamente um verso, que depois de entoado vira apenas um loop-eco que se transforma em mais um elemento da cadeia rítmica. Quando surge o poderoso coro da faixa original, passado já o terceiro minuto (a faixa tem 3’49”), o sorriso se abre inevitavelmente. Uma clara demonstração de que esses homens são exímios articuladores da lógica do prende-e-entrega que caracteriza uma das forças do footwork, a economia que faz com que nossa mente “complete” a batida até que ela, compassos depois… apareça, para completo regozijo. Vida longa ao footwork, vida longa à turma do shangaan. (Ruy Gardnier)

Ouça um preview da faixa (e do lado B de RP Boo) do site da Honest Jon’s.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 6 de janeiro de 2012 por em Faixa da Semana e marcado , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: