Camarilha dos Quatro

Revista de crítica musical.

Síntese – Sem Cortesia (2012; Matrero Records, Brasil)

Sintese - Sem Cortesia

Síntese é uma dupla de São José dos Campos, interior paulista, formada por Léo (MC) e Neto (BeatMaker/MC). Sem Cortesia, álbum duplo de 28 faixas lançado pela Matrero Records, é o trabalho de estreia do duo nesse formato, que já havia lançado DemoTape (2010) e Promotape (2011). O vídeo da faixa 4:20, lançado no começo do ano no youtube, ajudou na repercussão do discco. (AT)

* # *

Sem Cortesia não é um álbum exatamente radical, o disco tem sim suas pretensões fora do comum para um trabalho de estreia, seja o próprio formato duplo, seja uma certa estética mesmo, um tom agressivo e até complexo que o mantém longe do hip-hop nacional easy listening ou de qualquer filiação contemporânea nesse sentido (pelo menos em termos de Brasil), mas, ainda assim, é um disco de hip-hop que segue um padrão universal já bastante comum aos nosso ouvidos. O que faz dele, então, um dos lançamentos nacionais mais extremos do ano? Frescor, basicamente. Uma construção sonora que vai desde bases relativamente simples, mas sempre pontuais em suas timbragens lo-fi particulares, ao conceito ágil das rimas e da poesia não linear das letras. Dinâmica de gente grande, pra resumir a história.

A enxurrada de imagens, frases entrecortadas e palavras soltas é tanta, que é sempre um desafio tentar acompanhar a jornada de Léo e Neto. Recusando refrãos ou qualquer estratégia mais fácil, a dupla constrói uma espécie de fluxo que vai muito além de uma poesia vitimizada aleatória, canções que sabem ser agressivas (as vozes vociferadas muito bem impostas de “Introdução” e “Ilusão”), ágeis em suas imagens (os primeiros versos da faixa-título “Sem Cortesia”: “Marionetes de escritório. Revolucionários de auditório. / Céticos, utópicos. À mim, contraditórios. / Limitados á teoria, não me sensibiliza. / Muita sutileza pra minha grosseria.”) e criativas em suas bases (o batidão que se intercala com o sample de um coro em “Auto-afirmação”, o grave pontual de “Vamos acordar…”, e por aí vai).

Fica claro, no decorrer do álbum, essa brutalidade poética que de alguma maneira remete ao rap paulista do final dos anos 90, talvez começo de 2000; esse alicerce agressivo que agora encontra velocidade, agilidade e principalmente uma muito bem-vinda fragilidade lírica, pelo menos no sentido de uma subjetividade mais implícita e que se questiona a todo momento: “Sua instrução foi rasa. Sua falta de noção me embasa / (No caso) sua ignorância vem de casa. (O que) quase justifica seu jeito de pensar / Mas não te isenta se frente a real você não tenta mudar” é o que diz a letra de 4:20. E além de tudo isso, Sem Cortesia é um disco que simplesmente flui muito bem, a quantidade de faixas pode assustar em um primeiro momento, mas no geral são curtas e bastante conscientes de sua funcionalidade (ou de até que ponto seu dinamismo pode ir), resultando em um trabalho fragmentado tanto em sua construção lírica, como em sua arquitetura de todo, surpreendentemente conciso. (Arthur Tuoto)

Para ouvir ou baixar Sem Cortesia, entre no Soundcloud do Síntese

Anúncios

Um comentário em “Síntese – Sem Cortesia (2012; Matrero Records, Brasil)

  1. Pingback: Melhores de 2012: Discos – Arthur Tuoto « Camarilha dos Quatro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 14 de dezembro de 2012 por em álbum da semana e marcado , , , .
%d blogueiros gostam disto: